Recaatingamento

Geral

5/01/2011

Estudantes da UNEB visitam comunidade recaatigueira

Estudantes do curso de Agronomia da Universidade do Estado da Bahia – UNEB visitaram, no mês de dezembro, a comunidade Curral Velho, em Massaroca, distrito de Juazeiro-BA. A visita teve como objetivo apresentar para os estudantes as atividades do projeto recaatingamento a fim de realizar parcerias para disseminação da proposta.

Na visita, todos puderam ver de perto as práticas desenvolvidas pelo projeto na tentativa de reverter o processo de degradação do bioma caatinga, como através do viveiro de mudas nativas construído com a mão-de-obra da própria comunidade e de lições práticas com os estudantes do ERUM (Escola Rural de Massaroca), e a cerca elétrica pensada para isolar os animais das mudas quando ainda pequenas. A área cercada tem 180 hac. onde serão plantadas mudas do angico, umbuzeiro, da umburana, aroeira, entre outras, assim como da leucena e gliricídia, plantas utilizadas para alimentação animal.

Durante a atividade, os estudantes refletiram sobre a proposta enfocando a necessidade de pensar projetos como o recaatigamento para recuperar áreas consideravelmente degradadas empoderando a caatinga e as comunidades. “Eu achei o projeto vital para a caatinga, visto que a caatinga é um bioma que vem sofrendo diversos impactos. O projeto de recaatigamento vem contribuir na discussão de novas formas de produção, novas formas de convivência com esse bioma buscando sempre a melhoria de vida das comunidades”, disse o estudante Diego de Albuquerque.

Para Makus Breus, um dos coordenadores do projeto, esse foi o início de uma parceria que pode gerar diversos resultados, como estágios e pesquisas, aproximando a sabedoria prática do conhecimento científico. Outra visita está prevista para este mês de janeiro, na qual serão plantadas as mudas dando seguimento ao projeto.

24/11/2010

Cerca de 60 professores participaram de Formação em Canudos

Educadores de 23 escolas situadas em comunidades da zona rural de Canudos participaram nesta terça (23) e quarta (24) de Oficina sobre Educação Ambiental na perspectiva da Educação Contextualizada. Cerca de 60 educadores oriundos da Rede Pública Municipal puderam discutir maneiras e entender a necessidade de trabalhar educação ambiental na escola, uma das propostas do Projeto Recaatingamento que, com o patrocínio da Petrobras, é desenvolvido pelo Irpaa em 7 municípios da região Norte da Bahia.

A partir de uma programação enriquecida com metodologias participativas, como dinâmicas, trabalhos de grupos, leituras e debates, além da utilização de recursos visuais, foi possível discutir o imaginário construído acerca do semiárido e a necessidade de valorização da caatinga. Clique para ler o texto completo »

14/11/2010

Formação com educadores e educadoras

Como parte das ações do Projeto Recaatingamento – desenvolvido pelo Irpaa, com  patrocínio da Petrobras, aconteceu  nos dias 9 e 10 de novembro, em Juazeiro, o 2º encontro de formação, desta vez para um grupo de professores dos municípios de Sento Sé, Sobradinho e Casa Nova.

Em parceria com as Secretarias Municipais de Educação, a atividade reuniu educadores e educadoras que atuam em escolas multisseriadas de áreas contempladas pelo Projeto e comunidades circunvizinhas. O colaborador do IRPAA, Ângelo Nery, integrante do Eixo de Educação, diz que “esta formação   incentiva o trabalho de educação ambiental à medida que trabalha os conceitos sobre meio ambiente e aborda os problemas ambientais existentes nas comunidades, reforçando a proposta da educação contextualizada”.

No segundo dia de atividade, o grupo discutiu a importância de inserir esta temática no projeto didático das escolas, baseando-se no entendimento de que a escola deve ser referencia para a comunidade.

A professora Nazaré da Rocha que atua na escola da comunidade de Melancia, em Casa Nova, e Antônia Dias que é educadora da escola indígena Truká, em Sobradinho, concordam que a participação neste tipo de atividade contribui para a melhoria do trabalho no dia a dia da escola. Para as educadoras, as crianças tem enorme facilidade de compreensão das informações e disposição para a mudança de hábitos, além de serem as maiores incentivadoras e divulgadoras das novas práticas apreendidas, argumentam.

O 1º encontro envolveu educadores dos municípios de Uauá e Curaçá e nos próximos dias 23 e 24 de novembro a formação será realizada em Canudos.

Avanços

Através de orientações sobre cuidado com a água potável, destino do lixo, produção de mudas e de fertilizantes orgânicos, construção de viveiro, entre outras atividades, o projeto tem trazido avanços para as comunidades e, consequentemente, para a qualidade de vida das famílias.

A importância do Recaatingamento é difundida na prática da sala de aula e em atividades de campo, considerando a necessidade de envolver toda a comunidade. “São coisas que muitas vezes, os alunos já sabem, mas precisam aprimorar e saber que tem que levar essas informações para casa e trazer também de casa para escola. O estudante é o meio de comunicação, a base da educação”,  afirma Diones dos Santos, educador da comunidade de Fartura, zona rural de Sento Sé.

Desde a simples iniciativa de corrigir alguém que joga papel no chão a atitudes maiores como replantio de árvores, a educação ambiental repercute e se faz necessária. “Estas ações contribuem com a conscientização, informação sobre o valor que a caatinga tem para o semiárido”, reforça a professora e militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Socorro Varela, que apóia essas e outras ações semelhantes que venham a acontecer no Assentamento Vale da Conquista, em Sobradinho.

2/10/2010

Sequestro de carbono é uma das metas do Recaatingamento


Uma das metas mais importantes e audaciosas do Recaatingamento é contribuir com o sequestro de carbono da atmosfera. O desafio é recaatingar áreas dos sete Fundo de Pasto das Comunidades Recaatingueiras, alcançando o índice de evitar a liberação de 123 mil toneladas de CO2.

Acesse o documento: Sequestro de carbono na caatinga

22/09/2010

Recaatingamento inicia práticas do marco zero


Curral Novo, a 67 km de Juazeiro, foi a primeira comunidade recaatingueira a realizar a prática de marco zero no último dia 21 de setembro, na área do Recaatingamento.

Durante todo o dia, agricultores e técnicos do IRPAA estiveram no fundo de pasto a ser recaatingado, onde registraram espécies de plantas, evidências da presença de animais silvestres e a atual situação de degradação ambiental da Caatinga.

Agricultores da Comunidade de Curral Novo e técnicos do IRPAA discutem marco zero do Recaatingamento

Clique para ler o texto completo »

« Página anterior Próxima página »

DoDesign-s Design & Marketing

Realização:

Parceria:

Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada – IRPAA DoDesign-s Design & Marketing
» Recaatingamento. Bahia, Brasil . Telefone: (74) 3611-6481. Fax: (74) 3611-5385 . Acessar